• Orientação de especialistas para reparar pontos quentes em data centers

Default Alternative Text
Orientação de especialistas para reparar pontos quentes em data centers

Na teoria, pontos quentes não deveriam existir porque a maioria dos data centers possui capacidade de resfriamento que vai além da necessidade. Entretanto, 10% dos racks operam em temperaturas mais altas do que as recomendadas pelas diretrizes de confiabilidade, de acordo com um estudo realizado pelo Uptime Institute – e a tendência da porcentagem é só aumentar.

Do ponto de vista comercial, ignorar o problema de crescimento dos pontos quentes pode resultar em péssima confiabilidade, baixo desempenho ou danos no servidor. Os operadores de data centers estão sempre buscando soluções para tratar os riscos, mas uma correção inadequada pode criar mais problemas e ameaçar o desempenho da TI. Os efeitos dos pontos quentes podem ter impactos negativos nas garantias dos fabricantes de hardware, bem como nos contratos de manutenção.

A eliminação correta dos pontos quentes requer entender o que eles realmente são, suas causas principais e como identificá-los de acordo com o white paper"Como Corrigir pontos quentes em Data Centers."

Para entender os pontos quentes

O que é exatamente um ponto quente? É definido como um local na entrada dos equipamentos de TI onde a temperatura medida é maior do que o valor esperado, conforme recomendado pela norma ASHRAE TC 9.9.

Para esclarecer alguns conceitos equivocados, é importante perceber o que um ponto quente não é:

  • uma temperatura quente aleatória dentro de um data center
  • um resultado da capacidade deficiente de resfriamento ou carga de calor excessiva
  • o resultado da capacidade insuficiente de resfriamento em um data center.

Em vez disso, um ponto quente ocorre do uso inadequado da capacidade de resfriamento. Em outras palavras, a gestão ineficiente do fluxo de ar evita que o resfriamento chegue onde é necessário. Uma avaliação do uso da capacidade de resfriamento pode ajudar a calcular as porcentagens do fluxo de ar em um data center.

Onde localizar pontos quentes

Os pontos quentes podem ocorrer em locais diferentes em um data center, mas geralmente estão na parte superior de um rack. Quando mais cedo um operador de data center puder isolar um ponto quente, melhor as chances de evitar que o equipamento sobreaqueça e apresente mau funcionamento.

Métodos para detectar um ponto quente incluem:

  • Perceber o ponto quente, inspecionando e caminhando dentro do data center: Verificar a parte frontal dos racks, ao caminhar pelo local, resulta no menor custo, mas não é um método preciso.
  • Medições manuais: medidores como fitas plásticas térmicas, detector de temperatura tipo pistola, detector infravermelho de visão frontal (FLIR) fornecem melhor precisão e medição da temperatura. Este é um método eficiente barato de localizar um ponto quente.
  • Monitoramento automático:o melhor método, monitoramento automático, pode exibir dados reais para ilustrar as condições térmicas do servidor ou do data center. Em conjunto com o programa de gestão de infraestrutura de data center (DCMI), como o StruxureWare, o pessoal específico pode receber alertas em tempo real via e-mail ou texto caso as temperaturas cheguem a um limite indesejável.

As ações típicas tomadas pelos gerentes de data center depois de identificar pontos quentes incluem colocar ladrilhos perfurados no corredor quente, posicionando os racks e os ladrilhos perfurados perto das unidades de resfriamento, e depois soprar ar através de gelo pelos corredores frios. Essas práticas se mostraram ineficientes.

Outras ações, como abaixar o ponto de ajuste da unidade de resfriamento, colocar ventiladores de pedestal na frente dos racks problemáticos, e dispor unidades de resfriamento portáteis são apenas soluções temporárias. As práticas mencionadas acima são comuns, mas não recomendadas, visto que não tratam das causas principais dos pontos quentes: desvios e recirculação.

Image_2_a-b.jpg

Exemplos de boas práticas

Uma boa prática para corrigir pontos quentes e economizar energia envolve identificar a carga do problema e realocá-la em um rack de densidade mais baixa para eliminar um ponto quente. Uma outra boa prática é gerenciar o fluxo de ar do rack, que pode eliminar pontos quentes usando painéis cegos, unidade de distribuição de ar lateral, ou unidade de fornecimento de ar totalmente por dutos ou instalada no rack.

Permitir que o DCIM controle o fluxo de ar das unidades de resfriamento é uma boa prática adicional, de acordo com o white paper, mas somente deve ser feita quando forem implantadas práticas adequadas de gestão de ar.

Os especialistas da Schneider Electric podem ajudar os gerentes de data centers a implementar um plano de ação eficaz para corrigir ou prevenir pontos quentes em data centers. Para mais informações, baixe "Como Corrigir pontos quentes em Data Centers"
Saiba mais (Inglês)