• Sete motivos para levar em consideração uma rede industrial sem Ethernet

Default Alternative Text

Porque ou quando protocolos não Ethernet devem ser considerados para um projeto de automação? A seguir, sete razões que mostram quando redes não Ethernet poderiam ser especificadas para um projeto industrial. Elas podem incluir simplicidade, flexibilidade, familiaridade e uniformidade, mesmo se a lógica indicasse o contrário.

Este gabinete de controle, com o controlador mestre para uma máquina perturadora de túnel em NYC, mostra três redes CC-Link. Redes Fieldbus, como CC-Link, não necessitam de switches para garantir o determinismo do sistema de controle e podem ser instaladas em várias configurações (linha, árvore, combinação de linha/árvore, e em anel).

1. Simplicidade. Para alguns engenheiros de automação, é a simplicidade das redes Fieldbus que pesa na balança ao decidir pelo uso de uma dessas redes Fieldbus não baseada em Ethernet em vez de uma rede baseada em Ethernet. Essas redes Fieldbus tradicionais não baseadas em Ethernet geralmente exigem menos hardware e podem ser menos complexas que as equivalentes baseadas em Ethernet. Por exemplo, as redes Fieldbus não requerem switches para garantir o determinismo do sistema de controle, enquanto algumas redes baseadas em Ethernet requerem switches Ethernet complexos para garantir o determinismo do sistema de controle.

2. Flexibilidade. Além disso, a maioria das redes Fieldbus pode ser disposta em múltiplas configurações (linha, árvore, combinação de linha-árvore e anel). A maioria das redes baseadas em Ethernet é muito mais restritiva na forma como são dispostas em um projeto.

3. Familiaridade. Outra razão para que protocolos não Ethernet devam ser considerados é uma situação em que os engenheiros de automação e a equipe de manutenção do projeto estejam usando a mesma rede não baseada em Ethernet por algum tempo e estejam acostumados com essa tecnologia; ela funciona para seu aplicativo atual e eles não veem benefícios na adoção de uma nova rede baseada em Ethernet para um novo aplicativo.

Além disso, talvez, para essa situação específica do projeto, uma nova rede baseada em Ethernet não traria um impulso significativo na produtividade e a possível economia nos custos não justificaria a aprendizagem de uma nova tecnologia de rede baseada em Ethernet. Com todas essas informações, os líderes do projeto não conseguem justificar a adoção de uma nova rede baseada em Ethernet, de modo que continuam a usar a mesma rede não baseada em Ethernet nesse novo projeto.

4. Consistência para uma expansão gradual . Em outra situação, uma empresa tem um aplicativo que usa rede não baseada em Ethernet. Os engenheiros de automação estão considerando expandir esse aplicativo para incluir mais automação e essa expansão pode ser concluída de modo mais econômico usando a mesma rede não baseada em Ethernet, adicionando mais estações à rede atual não baseada em Ethernet. A expansão de um aplicativo existente usando a mesma rede não baseada em Ethernet mantém a consistência em todo o aplicativo e permite o uso das mesmas ferramentas e dos produtos atuais sem exigir que os operadores e a equipe de manutenção aprendam um novo sistema e a usar novas ferramentas.

5. Política . Uma empresa também pode declarar que todos os projetos devam usar um determinado protocolo não Ethernet para todos os projetos de automação. Os engenheiros de automação e a equipe de manutenção podem estar familiarizados com a tecnologia atual, mas os engenheiros de automação podem entender que os benefícios e a potencial economia nos custos justificariam a aprendizagem de uma nova tecnologia de rede baseada em Ethernet. A diretoria da empresa, no entanto, já investiu tanto no protocolo não Ethernet específico atual que não gostaria de investir em um protocolo baseado em Ethernet de nova geração, de modo que decide continuar a usar o protocolo anterior.

6. Experiência em automação. Uma situação diferente em que protocolos não Ethernet devam ser considerados é quando uma empresa é nova em rede de automação. O uso de uma rede Fieldbus pode ser mais fácil de justificar, pois essa tecnologia tem sido usada há mais tempo e é considerada mais confiável; ou talvez os engenheiros do chão de fábrica estejam solicitando há anos alguma automação e sempre solicitaram uma rede Fieldbus, pois quando solicitaram inicialmente essa “nova” rede de automação, a rede Ethernet não era viável ou não estava disponível.

7. Compatibilidade com os equipamentos. Em outra circunstância, durante a fase de investigação do projeto de automação, descobriu-se que nem todo o equipamento necessário estaria disponível para comunicação usando uma rede baseada em Ethernet. Portanto, para manter e usar uma rede para o projeto de automação, uma rede não baseada em Ethernet apropriada deveria ser considerada para comunicação direta entre todos os equipamentos necessários.

- John F. Wozniak, Engenheiro, é especialista em rede, e trabalha na CC-Link Partner Association. Editado por Mark T. Hoske, gestor de conteúdo, da CFE Media, Control Engineering e Plant Engineering.

CTLx_LOGO_Color_ID

Powered by ContentStream®